terça-feira, março 14, 2006

Agradecido

Christian de la Mazière, já por mim evocado duas vezes, conta em "Le Rêveur Casqué", obra que narra a sua entrada voluntária nas Waffen SS (não confundir com as SS), como naquele exército europeu, sob comando alemão, era estritamente proibido agradecer-se a um camarada; tudo o que fosse proporcionado a um soldado era encarado como algo a que ele tinha direito, não havia lugar a agradecimentos. Quem desrespeitasse esta regra era severamente punido.
Quando conta esta experiência, de la Mazière, entretanto afastado ideologicamente dos seus ardores de juventude, refere que o hábito de não se agradecer era dos raros que tinha mantido do seu período sob uniforme alemão.
Eu não tenho esta perspectiva, acho que o acto de se agradecer é uma forma civilizada de convivência em sociedade. Exceptuam-se as situações, infelizmente frequentes, de falta de dignidade e auto-subalternização, tendentes à obtenção de favores por parte de quem pode e manda.
Assim, a todos um grande bem-haja pelo apoio dado a esta ressurreição blogueira. Que esta possa corresponder minimamente aos vossos anseios.

8 comentários:

Nonas disse...

Caro Flávio,
como não estás nas Waffens nem nós pertecemos às SS podes agradecer à vontade.
Acho a perspectiva das Waffen SS muito interessante...

O Restaurador disse...

Funcionalismo, frieza e mecanização alemã eficaz como sempre...

Este episódio faz-me lembrar os nossos vizinhos que espanhóis, que se for preciso nos batem no carro e nós ainda temos que agradecer..

F. Santos disse...

«Acho a perspectiva das Waffen SS muito interessante...» Como é que eu não me surpreendo? Eh, eh!
E mais gostarias de ler a descrição do funcionamento da messe:
- oficiais e soldados todos no mesmo espaço;
- os soldados eram quem começava por se servir do schnaps; SE sobrasse, os oficiais também podiam beber. Assim ficava claro que quanto mais alto na hierarquia, maiores os deveres e menores os direitos.

Caro Restaurador: essa está boa!

Anónimo disse...

Muchisimas gracias por volver, querido Flavio. Seguiremos leyendote, que es siempre un placer.
La "gracia" de O Restaurador resulta poco graciosa.
Rafael Castela Santos

Anónimo disse...

Hombre, Fsantos, no es para tanto !
Nosostros, tus lectores, es que te damos las gracias por seguires escribiendo.
JLL

Anónimo disse...

Caro Flávio,
Quando puderes compra -La Orden SS - O Nonas informa onde...!
Como é que eu não me surpreendo? Eh, eh!

Legionário

Rodrigo Nunes disse...

Não segui os desenvolvimentos da crise "Santista" e já só venho a tempo de descobrir o resultado final.Menos mal.

O Restaurador disse...

Calma caro Rafael, apenas constatei e referi a realidade, nada mais...

E olhe que esta não apenas a minha opinião, a maioria dos portugueses pensa assim...

Saudações!