terça-feira, junho 13, 2006

Três meses

Há três meses precisos nasceu este blogue. O parto, mais do que difícil, foi inesperado para todos. Instado por duas dezenas e meia de leitores e amigos a não acabar com o "Santos da Casa", decidi-me a criar este "Horizonte".
O meu primeiro blogue foi sem dúvida aquele que me deu maior gozo criar. Nascido em Outubro de 2004, quando a blogosfera efervescia em polémicas e havia uma certa euforia blogueira que se desvaneceu com o passar do tempo, servi-me de uma maior disponibilidade de tempo que aquela de que hoje disponho para manter um ritmo apreciável de postais diários (entre 2 a 3, em média). Rapidamente, mais uma vez com o precioso contributo de alguns veteranos que amavelmente anunciaram o nóvel blogue, angariei entre 100 a 120 visitas diárias (com certas notícias cheguei às 180, quase o triplo das visitas diárias deste "Horizonte").
Por contingências diversas, o "Santos da Casa" emigrou, ressurgindo na versão "Blogger". Era uma época em que o tempo já me escasseava e aquela versão imigrada sentia-se tão desenraízada como um imigrante autêntico. Já não era o mesmo blogue, com actualizações mais esporádicas e menos textos doutrinários e literários. Por isso nasceu este "Horizonte". O projecto era já outro: tentando manter-se um olhar atento sobre as misérias deste mundo, já não havia a obrigação da actualização frenética; o tempo, as notícias, passaram a fluir ao ritmo evocado no postal anterior; os leitores rapidamente se aperceberam e começaram a desertar, afinal de contas passando por aqui menos amiúde rapidamente se punha a leitura em dia.
Esta abordagem nova coincide (digam-me se estou errado) com uma fase não diria de desgaste mas claramente de menor fulgor na blogosfera nacional: os veteranos procuram manter a chama, o que não é sempre fácil, os leitores sentem que já não há muitas coisas novas a aprender com os blogues, servindo estes sobretudo como "consolo" perante a mediocridade e censuras mediáticas. A nossa blogosfera apropriou-se do nome de um dos blogues de referência, tornando-se um último reduto de liberdade e livre expressão de ideias. Que não perca esse frescor e se não deixe cair nas teias do "politicamente correcto do politicamente incorrecto" e que saiba arvorar, digna e altaneira, a chama das mentes livres.

6 comentários:

Thoth disse...

Amigo Fsantos, aprende-se sempre com os blogues, pois são veículos de informação não alinhada com o erro colectivo! Atrevo-me a dizer, Vivam os blogues!

Vimaranes disse...

Os meus parabéns por estes 3 meses de blog :) também pelos seus conteúdos (agora que o descobri, prometo vir cá mais vezes)... e já agora deixe-me juntar a minha voz à indignação belenense em mais um exemplo da vergonha e da escumalha que deambula pelo futebol português!
Já deviamos estar habituados...

F. Santos disse...

Um abraço de agradecimento aos meus caros leitores nortenhos.

Anónimo disse...

Presente!

\o

Legionário

JLL disse...

Análise certeira em todos os pontos abordados.Permitam-me uma achega mais no que à direita nacional diz respeito: últimamente, muitos desses blogues andam a escrever em código (uns para os outros?)e,como eu não conhecido o referido código, fico sem perceber nada.Ou quase nada.

JSM disse...

Caro FSantos
Uma análise instrutiva para os mais novos, na blogosfera, entenda-se.
A corroborar o que afirma, já é frequente ver nos jornais diários a transcrição de excertos de alguns blogues. Penso que é uma nota de credibilidade e independência.
Um abraço e votos de continuação.