sábado, dezembro 23, 2006

Dickens e o espírito de Natal


«There seems a magic in the very name of Christmas.» (Charles Dickens)
**
Desde jovem que para mim o espírito de Natal está antes de mais expresso nas magníficas páginas de Charles Dickens. Seja no clássico "A Chistmas Carol", que narra a metamorfose do mesquinho Scrooge, que acaba por ser conquistado pelo significado humano do Natal, seja indirectamente nas obras em que o protagonista é um jovem, como em "Oliver Twist" ou "David Copperfield".
E isto porque o genial escritor representou sempre as crianças como vítimas inocentes da maldade dos adultos, embora não seja raro que estes por vezes se sensibilizem para os valores humanos mais puros. Num mundo de egoísmos, de ganância, de luta pelo poder, são as crianças as primeiras vítimas dos confrontos dos adultos. Lançado num turbilhão de conflitos e paixões, o jovem de Dickens tenta sobreviver e agarrar-se ao mais leve sinal de calor humano que encontre.
Não há outra época do ano em que essa necessidade melhor se expresse que no Natal, momento em que até os adultos parecem querer sucumbir aos seus encantos, agarrando-se às memórias de infância, às luzes de um passado mais distante pela transformação ocorrida nas suas vidas que pelo simples passar dos anos.
A comemoração do nascimento do menino que veio salvar o mundo é dos poucos sinais de transcendência que o homem contemporâneo pode alcançar. Subvertido pela glorificação do consumo e pela avalanche de ofertas e embrulhos que quase ocultam o pinheiro, o Natal está em vias de sofrer a última derrota face ao materialismo cego que Dickens sempre denunciou, valorizando o que de bom há no homem, criatura sempre propensa a lançar-se no abismo e a esquecer as virtudes que Deus lhe concedeu.
Por uns dias creiamos que esse combate não está perdido e que um dia nos corações dos homens se iluminará perenemente uma luz tão brilhante como a que guiou os Reis Magos há dois milénios.

9 comentários:

MAS disse...

A esperança é que nos anima! Se a deixarmos morrer ou lhe dermos uma esperança de vida tão curta como o período natalício, então sim, admitimos a derrota da humanidade. Acredito que o menino Jesus que nasceu há 2000 anos não o fez em vão e só o AMOR nos poderá salvar a todos!
Feliz Natal!

Francis C. Afonso disse...

Pois então, um excelente Natal para o comandante deste Horizonte.
Abraço,
Francis

Paulo Cunha Porto disse...

Bom Natal

O Corcunda disse...

Um grande "post" do meu amigo, que apesar de agnóstico, consegue vislumbrar a luz por entre a porta entreaberta.

Um enorme abraço para toda a família do FSantos

Santo Natal!

JSarto disse...

Votos de um Santo e Feliz Natal!

Oliveira da Figueira disse...

Noite Bela
Noite de Amor
Nasceu o Menino
Que é Nosso Senhor.

Feliz e Santo Natal.

Anónimo disse...

Un texto precioso lleno de esperanza. Como Dickens.
Como Cristo que nace.
Un fuerte abrazo,
Rafael Castela Santos

O Restaurador disse...

Espero que tenha tido um Feliz Natal e que o novo ano que se aproxima seja 5 vezes melhor que o ano que se fina!

Um Abraço!

Jardim do Arraial disse...

Esperando que tenha tido um feliz Natal, desejo-lhe, e aos seus leitores, um novo ano cheio de sucessos, alegrias e paz.