quinta-feira, março 22, 2007

Museu judaico em Munique

A Alemanha, país da "culpa eterna", acaba de inaugurar mais um museu judaico, desta vez em Munique.
A notícia reza mais ou menos o seguinte: «Com uma cerimónia na Câmara Municipal, foi hoje inaugurado o novo Museu Judaico, em Munique. O presidente da câmara discursou sobre o significado do museu, perante centenas de convidados. O complexo engloba museu, sinagoga e memorial, situando-se na St.-Jakobs-Platz e contribuirá para colocar Munique como centro da vida, religião, cultura, tradição e futuro judaicos.»

3 comentários:

ab disse...

Não estou a ver onde está o problema, mas enfim...

(se calhar, se os templos e os museus fossem de 'outros' já não teríamos direito a post, pois....)

Também na Alemanha, em Frankfurt, uma juíza alemã, resolveu aplicar a....Lei Islâmica....indeferindo assim um pedido de divórcio de uma cidadã alemã de origem marroquina (cujo marido, também de origem marroquina, alegadamente a espancava).
A preclara juíza resolveu basear-se na Lei Islâmica (e não na Constituição alemã) para negar o divórcio.

Imagino se a juíza tivesse recorrido à Lei Judaica...haveria de ser uma algazarra monumental.
Mas assim, presumo que seja tudo muito bonito e, por certo, plenamente jusitificável.

Quem parece que não se 'ficou' foi o Jerusalem Post (eheheh) que resolveu divulgar a identidade da juíza.

Ao que dizem, 'chovem' os protestos contra a decisão da ilustríssima magistrada.
Nem tudo está perdido...

;)

Ricardo Zenner disse...

Pobre cidade de Munique. Tão bela, com tantas tradições europeias, não merecia isto! A sério!

Que os judeus vão fazer o seu centro lá para o deserto pedregoso da sua Terra Prometida e deixem os outros em paz (vão ter problemas com os palestinianos locatários, mas enfim).

ab disse...

Israel não é um 'deserto pedregoso'.
É um país agrícolamente próspero e produtivo.
Os 'desertos pedrogosos' não são lá. :-)