domingo, fevereiro 03, 2008

Ignomínia em dose cavalar

Não faço grande distinção entre deputados que acham que um voto de pesar pelo assassinato de D. Carlos seria caucionar uma versão oficial da história (sic), ou que seria contrário à república (que assim mostra bem a sua face) e a dezena de energúmenos que foram ao Terreiro do Paço com uma faixa que boçalmente proclamava: "O rei morreu, viva o Buiça". Mais gravata, menos gravata, mais solene ou mais grotesco, todos se equivaleram no seu ódio a Portugal (encarado como um país com uma história que não inclui apenas os aspectos que nos agradam) e na sua relativização de valores (um comunista que passou pela tortura do sono merece-lhes compaixão, um chefe de Estado que é morto à queima roupa não).
Uma nota ainda para o verso do pano mostrado pelos anarcas, com alusões ao Bloco do historiador oficial (pois é...) do regime, o deputado Rosas. As workshops de desobediência civil têm sido profícuas para a canalha. Há cem anos incluiriam treino de tiro.

6 comentários:

José Carlos disse...

Pergunta de algibeira:

E será que não incluem? ...

O Velho da Montanha disse...

Também já não tinha ilusões acerca desta canalha!
Exigem tolerância e são incapazes de a ter!
Um abraço

Anónimo disse...

Há cem anos incluiriam treino de tiro"

Nãaaah!
Onde para o sis, a pj, a psp, a gnr, a fundação para a rodoviária e segurança...o vara..o bastonadas incontinentes marinho (!)?

A escumalha move-se como porcos na lama. Eles não matam a tiro, asfixiam-nos lentamente com o cheiro que exalam.

Legionário

Johnny Drake disse...

Divulgação:

http://revisionismoemlinha.blogspot.com/


Saudações!

Lory Boy disse...

"(...)um comunista que passou pela tortura do sono merece-lhes compaixão, um chefe de Estado que é morto à queima roupa não(...)

Nem mais.
Isto é por o dedo na ferida.
Esta é a grande questão!
Grande Post!

Obrigado FSantos

Afonso Henriques disse...

O regime republicano perdeu uma oportunidade soberana (passe a ironia...) de se reconciliar com a História de Portugal ao recusar a condenação oficial do regicídio, a todos os títulos um acto terrorista.
Muitos republicanos se indignaram com a leitura feita pela Assembleia relativamente ao voto de pesar que não passou.
A república portuguesa, convém lembrar, decretou luto oficial e bandeira a meia haste pela morte de Adolfo Hitler em 1945.
Em 2010 a república portuguesa vai comemorar o quê?
Cumprimentos,

Afonso Henriques