sexta-feira, junho 02, 2006

Eu digo: destruam-se

Ralph Giordano, o escritor alemão de origem judaica, propõe que estátuas esculpidas pelo genial Arno Breker sejam destruídas: "as figuras são hediondas", afirma a insigne criatura. "Exijo (sic) que sejam retiradas [do Estádio Olímpico de Berlim], rapidamente desmanteladas e enviadas para a sucata".
Alguém se lembra dos apelos contra a "bárbara" destruição das estátuas de Buda levada a cabo pelo regime taliban no Afeganistão? Mas se o senhor Giordano exige, que pode fazer um simples governante alemão senão seguir o exemplo dos seus pares nas últimas décadas? Obedecer.

Fonte: "Times online", via dois amigos.

12 comentários:

Anónimo disse...

Levem o «senhor» Giordano num giro turístico a Dachau, para ver se se sente bem numa das casamatas e se quer ficar por lá...
Está na sequência daquele rabi farisaico que queria que todas as bonecas fossem mutiladas, pois, segundo ele, eram ídolos...
«Raça escolhida»... Só se foi por um demónio louco. Por Deus não foi, concerteza...

Anónimo disse...

A maneira como estes "senhores" ameaçam logo com Dachau e outros sítios é sintomático.
Afinal...

Anónimo disse...

Mais do que sintomático, Anónimo das 4:01; é claríssimo. Os tampinhas podem insultar tudo e todos, ameaçar, querer mandar. Se alguém se opôe, é logo nazi. E se fosse, qual o problema? não estamos numa «democracia»? Quanto a crimes, parece-me bem que o sionismo praticou - e está a praticar - muito mais crimes do que os tais «nazis» dos filmes de propaganda. Basta ver as notícias (e estas são apenas a ponta do iceberg).
Quanto a ameaçar com Dachau, francamente, parece que este anónimo não sabe que o campo foi transformado em atracção turística de mau gosto nos anos 50, depois de lhe terem acrescentado - em 1946 - as ditas «câmaras de gás».
Era só para dar uma lição ao cretino que pensa que os judeus podem mandar em todos os outros povos e destruir as suas culturas e identidades.

Passe muito bem e aprenda um pouco mais de História - a verdadeira, e não a veiculada pelos media.

Anónimo disse...

São as vitimas profissionais a desempenharem a sua missão, fomentar constantemente o sentimento de culpa entre os Europeus, obrigando-nos constantemente a demonstrar que não somos racistas e destruir a consciência racial.

O povo eleito, manifesta constantemente o seu racismo e sobranceria, estabelecendo uma relação directa entre o declínio de Nações Europeias com a expulsão dos judeus,

Criam conceitos como a emergência de anti semitismo nas sociedades ser sintoma de um inicio de instabilidade, não hesitando em comparar-se favoravelmente com outras raças afirmando-se como os mais inteligentes e produtivos sendo imprescindíveis para os países em que se instalam, se alguém os contradiz é imediatamente anti semita e NAZI, mesmo em 2006 vêem NAZIS por todos os lados. Usam o sentimento de culpa cultivado por eles para assim desarmarem os seis opositores.

Mas o tiro sai-lhes cada vez mais culatra. Em França, agudizam-se as tensões raciais entre grupos rivais, pretos e árabes juntos contra os judeus. Como pretos e árabes não têm nenhum sentimento de culpa, precisamente o contrário, procuram vingar-se da situação na Palestina, e consideram a tolerância Europeia como um sinal de fraqueza, organizam-se para atacar os judeus.
Recentemente em Paris grupos de presos e árabes foram à zona judaica procurar grupos de activistas judaicos, protegidos sob a designação de Liga de defesa judaica, para confrontos físicos. A tentativa permanente de auto vitimização com os pretos e árabes não resulta, entraram inclusivamente em ginásios habitualmente frequentados por esses activistas a desafiá-los abertamente para os confrontos físicos na rua. Sem qualquer complexo de culpa ou sentimento de pena e munidos de consciência racial, os pretos em plena luz do dia entram nos ginásios de krav maga e desafiam as vitimas profissionais a lutarem na rua. Foram apelidados pelo sistema de NAZIS.

Anónimo disse...

http://judicial-inc.biz/1_master_supreme.htm

Anónimo disse...

http://judicial-inc.biz/Iran_silent_dehab_egypt.htm

Anónimo disse...

A institucionalização da vitimação

http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/3502019.stm

http://www.timesargus.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/20060326/NEWS/603260391/1002/NEWS01

Anónimo disse...

A institucionalização da vitimação

http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/3502019.stm

Os judeus em França
http://www.timesargus.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/20060326/NEWS/603260391/1002/NEWS01

splash disse...

Ao que se chegou.
Já se recorre aos pretos e aos árabes como exemplo.

Continue a dar a «mão» aos pretos e aos «agachados» que você vai ver o que acontece à sua Europa...

Å disse...

Os pretos e os "agachados" podem ser maus, mas os judeus são os piores. A História comprova-o.

Anónimo disse...

O exemplo é pertinente, nem os pretos nem os agachados foram atingidos pela propaganda das vítimas profissionais, daí quando se sentem atingidos reagem, sem qualquer problema. Foram em busca de ajustar contas porque os pretos e os agachados suspeitavam que as jovens vítimas profissionais da Jewish Defense League, tinham agredido fisicamente um dos seus elementos durante a manifestação promovida pela tal da JDL. Consequência, ajuste de contas, juntaram-se e foram à procura deles, claro o instinto judeu fez-se notar assumindo o permanente papel de vitimas, e apelidando os agressores de NAZIS. O habitual. Infelizmente para os judeus essa vitimação com os pretos e agachados não resulta.

Camisa Azul disse...

É a nova ordem mundial, e quem se lhes opuser será esmagado.
Esperemos que o povo acorde a tempo.