quinta-feira, junho 22, 2006

Revisionismo da Primeira Guerra Mundial

«Os EUA deveriam ter ficado à margem da Primeira Guerra Mundial. Se não tivessem entrado na guerra os aliados teriam assinado a paz com a Alemanha em 1917. Com a paz assegurada não teria havido o advento do comunismo na Rússia, do fascismo em Itália e a Alemanha não teria assinado o tratado de Versalhes, que conduziu ao fenómeno do nazismo. Se os EUA tivessem ficado fora da guerra (...) mais de um milhão de vidas britânicas, francesas, americanas e de outras nacionalidades teriam sido poupadas.»
De quem são tão contundentes palavras sobre o resultado da intervenção americana no conflito de 1914-18? De um buldogue chamado Winston Churchill, em 1936, quando um novo conflito mundial já se divisava no horizonte.
Saiba também como um relatório falso sobre alegadas atrocidades alemãs conduziu ao bloqueio da Alemanha durante sete meses após o armistício de 1918, provocando a morte estimada de 600.000 alemães, naquilo que o historiador Thomas Fleming considera a maior atrocidade cometida naquele conflito.

Ler mais no blogue da "Causa Liberal", em quatro postais sobre o conflito: 1, 2, 3 e 4.

4 comentários:

Rodrigo Nunes disse...

o Carlos Novais é de longe o mais interessante de todos os libertários na blogosfera.

Anónimo disse...

Mentiras, tudo mentiras!!
Bandidos.

Legionário

alex disse...

"Os EUA deveriam ter ficado à margem da Primeira Guerra Mundial. Se não tivessem entrado na guerra os aliados teriam assinado a paz com a Alemanha em 1917. Com a paz assegurada não teria havido o advento do comunismo na Rússia, do fascismo em Itália e a Alemanha não teria assinado o tratado de Versalhes, que conduziu ao fenómeno do nazismo."

Concordo plenamente.
É a mais pura verdade.
Foi um erro de que Wilson só se terá apercebido ali numa localidade próxima de Paris.
(mas também podemos acrescentar que, sem a proverbial 'cegueira' política e estratégica do neto-da- Raínha-Victória-imperador-alemão.de-capacete-pontiagudo nada daquilo teria acontecido daquela forma. Convem recordar que o supracitado, eruditíssimo e preclaro monarca assinou uma rendição longe de estar derrotado militarmente)

Å disse...

Os alemães têm sempre a culpa de tudo! É o que dizem sempre os judeus.
;/