segunda-feira, julho 10, 2006

Tabloidização da blogosfera

Um leitor diz-nos que é «lamentável assistir à 'tabloidização' deste blog». Pretexto: a fotografia aqui publicada dois postais abaixo deste.
Segundo a Wikipedia, «o termo "imprensa tablóide" refere-se a jornais que focam a sua atenção em assuntos menos "sérios", em especial celebridades, desporto, relatos de crimes sensacionalistas e até boatos». Se formos a pensar no ror de blogues "sérios" que cada vez mais focam a sua atenção em "celebridades" (de preferência descascadas) e "desporto" seremos levados a pensar que o nosso leitor falhou o alvo. E se calhar talvez devesse começar a olhar para o seu tasco. É claro que deve fazer dele o que entender e nós até somos leitores habituais do mesmo. O que não me parece razoável é utilizar para esta casa o termo citado.
(Claro que o contexto da fotografia não é alheio a esta indignação; quando se toca na "vaca sagrada" dos nossos tempos aí vem uma carga de artilharia digna de qualquer Tsahal ideológico. Entretanto os inocentes, entre os quais muitas crianças como a da foto, vão perecendo às mãos de um invasor cruel, racista e que não hesita em matar aqueles que considera sub-homens. Tudo o resto é conversa.)

9 comentários:

Anónimo disse...

Fodasssse!
Até a mim me doeu e não é nada comigo!

Ele há certos indivíduos que se põe a jeito!

Legionário

alex disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
F. Santos disse...

1 - Não fui eu que dei o sentido à palavra, recorri à Wikipedia inglesa.
2 - Já o sabíamos...
3 - Como vê não me referia necessariamente à sua pessoa e ao seu blogue.
4 - Aqui V. espalha-se redondamente ao comprido. Enchiam-se certamente muitos volumes com citações de autoridades civis, militares e religiosas israelitas advogando a expulsão (ou pior) pura e simples de todos os palestinos de Eretz Israel. O opus 1 foi logo em 1948, em Der Yassin, já ouviu falar?
5 - Essa é nova. Podem falar dos judeus em termos pouco elogiosos (eufemismo) mas por aquilo que estes fazem aos árabes e não enquanto judeus per si.
6 - «Qualquer Estado, perante semelhante vizinhança, tem o direito de o fazer.» Os palestinos é que têm boa vizinhança, efectivamente...
7 - O que se passou em 1948 foi uma vergonha. Se queremos repor o mundo como era há milénios o melhor é virá-lo já do avesso. Não faltavam vastas áreas na Europa ou África onde instalar centenas de milhar de judeus. Pô-los no Médio Oriente foi de uma inconsciência atroz e teve repercussões interminavelmente trágicas.
«Posso então depreender das suas palavras que o FSantos é anti-racista e considera o racismo uma 'crueldade'? Certo?» - Como sabe não sou racista, acho que cada povo tem o direito de viver no seu próprio espaço em dignidade, no respeito pelos outros povos. O facto de criticar a imigração é uma consequência de, e não uma contradição com, defender este princípio. Deslocar vastas massas de pessoas de proveniências diferentes para um mesmo espaço é inteferir no modo de vida do país receptor (repare que disse "vastas massas", é óbvio que a convivência entre povos diferentes é possível e desejável desde que os que imigram sejam em baixo número e respeitem o país acolhedor).

F. Santos disse...

Nelson, estou tramado consigo. Deu-me um trabalhão danado a escrever uma resposta ao seu comentário e depois apaga-o? Tenha paciência mas reproduzo-o já a seguir:

«Estou a ver que se aborreceu, e não há razões para isso:

1 - O termo 'tabloidização' é hojem em dia utilizado com um significado bem mais amplo que aquele que o FSantos lhe dá. Refere-se não só, mas também, à apresentação desse géneroded imagens como chamariz.
Se calhar o termo por mim escolhido não foi o mais exacto ou o mais feliz...paciência.

2 - O meu blog não tem a pretensão de ser um blog 'sério'....pelo menos não nessa conotação de 'sério'. Era só o que me faltava.

3 - De vez em quando há lá gajas descascadas??!!!
Há sim senhor, e ainda bem!
GRAÇAS A DEUS (ou o que lhe quiserem chamar)!
Agora menos, pois o Paulo Cunha Porto ultrapassou tudo e todos, não dando qualquer hipótese de concorrência.

4 - Meu caro, Israel nunca promoveu palestras subordinadas a temas como:

'O Mundo sem palestinianos'

ou

'Vamos riscar a Palestina do Mapa'

5 - Nunca se referiram aos palestinianos como 'sub-humanos'.
O oposto ocorre a cada instante.

6 - Como já lhe disse, não se trata de uma questão de serem os judeus, os árabes ou os esquimós. Qualquer Estado, perante semelhante vizinhança, tem o direito de o fazer.
Já imaginou se os espanhóis não reconhecessem o direito á existência de Portugal?

7 - Trata-se de uma reconquista de uma usurpação histórica e muito boa-vontade há em deixar parte do território aqueles que o ocuparam.
Ah, e não me venha com os 'séculos' e não sei mais o quê. Quando os europeus reconquistaram os territórios ao árabes, estes já lá se encontravam há muitos séculos e nunca o vi questionar a legitimidade dessa violentíssima, cruel e racista reconquista.
O território que caiu definitivamente no séc.II d.c. (através da compulsiva expulsão dos seus habitantes) era quase 6 vezes maior que o definido pelas fronteiras de 1967, só para que não esqueça. Se não têm legitimidade sobre ele, então os europeis também não o teriam sobre os territórios ibéricos dominados durante séculos e, muito menos, sobre colónias espalhadas pelo mundo.

"Entretanto os inocentes, entre os quais muitas crianças como a da foto,..."

Subscrevo a sua indignação, pena ela ser tão altamente selectiva, logo, não colhe.

"...um invasor cruel, racista e que não hesita em matar aqueles que considera sub-homens."

Está a falar de quem?
:)

Posso então depreender das suas palavras que o FSantos é anti-racista e considera o racismo uma 'crueldade'?

Certo?»

Posted by nelson buiça to Horizonte at 7/11/2006 02:29:29 PM

alex disse...

Estou a ver que se aborreceu, e não há razões para isso:

1 - O termo 'tabloidização' é hoje em dia utilizado com um significado bem mais amplo que aquele que o FSantos lhe dá. Refere-se não só, mas também, à apresentação desse género de imagens como 'chamariz'.
Se calhar o termo por mim escolhido não foi o mais exacto ou o mais feliz...paciência.

2 - O meu blog não tem a pretensão de ser um blog 'sério'....pelo menos não nessa conotação de 'sério'. Era só o que me faltava.

3 - De vez em quando há lá gajas descascadas??!!!
Há sim senhor, e ainda bem!
GRAÇAS A DEUS (ou o que lhe quiserem chamar)!
Agora menos, pois o Paulo Cunha Porto ultrapassou tudo e todos, não dando qualquer hipótese de concorrência.

4 - Meu caro, Israel nunca promoveu palestras subordinadas a temas como:

'O Mundo sem palestinianos'

ou

'Vamos riscar a Palestina do Mapa'

5 - Nunca se referiram aos palestinianos como 'sub-humanos'.
O oposto ocorre a cada instante.

6 - Como já lhe disse, não se trata de uma questão de serem os judeus, os árabes ou os esquimós. Qualquer Estado, perante semelhante vizinhança, tem o direito de o fazer.
Já imaginou se a vizinhança não reconhecesse o direito à existência de Portugal?

7 - Trata-se de uma reconquista, ou melhor, um retorno, e o acordo previa dois Estados, algo que os árabes, durante muito tempo, sempre recusaram obstinadamente e, ainda hoje, alguns o fazem.
Ah, e não me venha com os 'séculos' e não sei mais o quê. Quando os europeus reconquistaram os territórios ao árabes, estes já lá se encontravam há muitos séculos e nunca o vi questionar a legitimidade dessa violentíssima, 'cruel' e 'racista' reconquista.
O território que caiu definitivamente no séc.II d.c. (através da compulsiva expulsão dos seus habitantes) era quase 6 vezes maior que o definido pelas fronteiras de 1967, só para que não esqueça. Se não têm legitimidade sobre ele, então os europeus também não o teriam sobre os territórios ibéricos dominados durante séculos e, muito menos, sobre colónias espalhadas pelo mundo.

8 - Israle não quer exportar ninguém nem conquistar ninguém pelo 'ventre materno'.
Pelo contrário, os seus líderes insistem para que os judeus espalhados pelo mundo vão para Israel.
Ainda me lembro de Sharon, em Paris, a apelar aos judeus locais para irem viver em Israel.

"Entretanto os inocentes, entre os quais muitas crianças como a da foto,..."

Subscrevo a sua indignação, pena ela ser tão altamente selectiva, logo, não colhe.

"...um invasor cruel, racista e que não hesita em matar aqueles que considera sub-homens."

Está a falar de quem?
:)

Posso então depreender das suas palavras que o FSantos é, decididamente, anti-racista e considera o racismo uma 'crueldade'?

Certo?

alex disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
alex disse...

Está reposto.
Tive que fazer alguns 'ajustes', até porque estou com dificuldades técnicas.

Em jeito de réplica:

"Como sabe não sou racista, acho que cada povo tem o direito de viver no seu próprio espaço em dignidade..."

Pois....todos menos os judeus que, nem pensar em voltar ao 'seu espaço', pelos vistos....

Lindo.

" O que se passou em 1948 foi uma vergonha."

Tem toda a razão. O comportamento dos árabes foi .........
As coisas não lhes correram como esperado.

É curioso notar que, não fosse a insólita debacle do Império Otomano e nada disto teria ocorrido.

"...ada povo tem o direito de viver no seu próprio espaço em dignidade, no respeito pelos outros povos."

EXACTAMENTE!
Mas são TODOS os Povos, e não só os que 'dão jeito'.

" Não faltavam vastas áreas na Europa ou África onde instalar centenas de milhar de judeus."

Xiiii....o que você foi dizer.
ahahahahahah

Pois é....mas no 'espaço deles' é que não. Isso, só para os 'outros'.
Depois sou eu que tenho dois pesos e duas medidas....

NOTA: a não ser que o FSantos esteja a sugerir que os Judeus de hoje já pouco ou nada têm a ver com os Judeus originais e que são um Povo ocidental (ou completamente ocidentalizado) e étnicamente não-semita, dado o seu parentesco com os Khazars e de haver entre eles Indo-Europeus .

"O opus 1 foi logo em 1948, em Der Yassin, já ouviu falar?"

Já, já....mas está novamente só a lembrar-se do que lhe interessa.

"Os palestinos é que têm boa vizinhança, efectivamente..."

Não é má de todo.
Se a relação de forças fosse a oposta, seria bem pior e os israelitas não poderiam esperar nem 1/10.

É com consternação que vejo que o FSantos é daqueles que parece nem sequer defender a óbvia solução de dois Estados (defendida por árabes, inclusivé), colocando-se assim 'do lado' dos que querem 'virar mapas do avesso' e retirar de lá 'coisas'.
Às vezes dá a impressão que o simples facto de haver países árabes e milhões de muçulmanos a reconhecerem Israel lhe causa tristeza.
Enfim.

F. Santos disse...

Enfim, digo eu. Já uma vez lhe fiz um ponto de ordem em que falava na solução dos dois estados como desejável, portanto não sugira que eu disse o que não penso. Quem tudo tem feito para que não haja dois estados sabemos quem é.

alex disse...

". Quem tudo tem feito para que não haja dois estados sabemos quem é."

Ah pois sabemos, sabemos....
Então não?!