sexta-feira, julho 07, 2006

A escravatura hoje em dia: o exemplo da Mauritânia

A escravatura está formalmente proibida na Mauritânia desde 1981(!). Tal facto não impede que ela continue a ser praticada naquele país.
Como se pode ler aqui, a escravatura tem sido algo que beneficia as classes privilegiadas, que não abdicarão facilmente desse "privilégio": «Numa sociedade conservadora em que é motivo de orgulho possuir-se um escravo não se pode esperar que esta prática desapareça facilmente», apesar da intenção anunciada pelo actual presidente nesse sentido. O medo de represálias de que sofrem os escravos, a par da inércia ou mesmo conivência por parte das autoridades, ajudam a perpetuar o fenómeno.
Fenómeno de resto bem antigo e anterior à sua prática por parte dos europeus, que aproveitaram um sistema já "rodado" por parte de certas elites africanas.

2 comentários:

PlanetaTerra disse...

///

--- A Imigração Clandestina deve ser considerada um crime tão grave como o tráfico de droga, assim sendo:
-1- uma empresa - aonde sejam encontrados Imigrantes Clandestinos a trabalhar – deve ser considerada um empresa perdida a favor do Estado;
-2- o dinheiro resultante da venda da empresa ‘apreendida’ deve ser distribuído pelas pessoas inscritas nos Centros de Emprego.

--- Mais, deve ser decretada a proibição de trabalho imigrante naqueles trabalhos cujo salário seja INFERIOR ao SALÁRIO MÉDIO NACIONAL.


-> Nota 1: Ao estarem proibidas de ‘importar’ imigrantes, as entidades patronais – para cativarem os trabalhadores desempregados - vão ser obrigadas a aumentar os salários INFERIORES à média nacional.
-> Nota 2: Forçando as entidades patronais a subir os salários... isso vai ser um estímulo para para que as entidades patronais procurem um AUMENTO DA PRODUTIVIDADE através de Novas Tecnologias.


P.S.
Aqueles que argumentam que o fim da ‘importação’ de imigrantes [para os trabalhos cujo salário seja inferior ao salário médio nacional]... vai ser mau para a economia do País... são uma fotocópia daqueles BANDALHOS ÉTICOS que, no passado, andaram por aí a argumentar que o fim de ESCRAVATURA iria ser mau para a economia do País... pois:
- era necessário rentabilizar o investimento feito em caravelas;
- era necessário salvaguardar a indústria de construção de caravelas.

///

Thoth disse...

Oh amigo Fsantos, escravatura, até aqui a há!