sexta-feira, setembro 22, 2006

Toca a pagar os estragos israelitas

Balanço dos estragos materiais da operação israelita no Líbano, denominada "Punição Adequada" (o nome diz tudo sobre a moralidade do mandante): 130.00o edifícios reduzidos a escombros, 77 pontes destruídas, além de terminais e centrais diversos. As poucas semanas que durou a "punição" causaram mais estragos que a interminável guerra civil que vigorou no País dos Cedros desde meados dos anos 70 até 1989.
O custo estimado da agressão, segundo a ONU, é 11 biliões de euros. Isto sem falar no custo de desactivação das bombas de fragmentação e das minas disseminadas pelos campos e que já custaram a vida a 14 agricultores.
A ajuda da UE à data é de 100 milhões de euros, a Arábia Saudita avançou com 500 milhões e o Koweit com 300 milhões. O secretário geral adjunto da ONU, Mark Malloch Brown, alerta para a inutilidade desta ajuda sem o fim do bloqueio marítimo e aéreo imposto por Israel. Como exemplo das consequências deste, não foi até agora possível fazer chegar ao martirizado país os materiais necessários para encetar o processo de reconstrução.

2 comentários:

quijote español disse...

Que pague Zapatero

Anónimo disse...

Que pague España