sábado, novembro 04, 2006

Israel sempre igual a si mesmo

A n-ésima ofensiva sionista contra o povo palestiniano vai fazendo vítimas, dia a dia. Crianças apanhadas desprevenidas, mulheres tentando fugir da ofensiva - ninguém escapa à barbárie israelita. Mostrando a maior frieza e desprezo pela vida dos não-judeus, o democratíssimo estado de Israel vai continuando a contribuir para a miséria deste mundo, dos que mais a sentem na vida de todos os dias aos ocidentais, que não deixarão de levar por tabela com atentados perpetrados por fanáticos islamistas, cujo ódio é ciosamente alimentado por Israel. Para a sua maior glória.

(Funeral de um jovem de 14 anos.)

(Destruição, destruição, destruição.)

6 comentários:

ab disse...

pois sim, pois, claro, claro...

os 'outros' (coitadinhos) nunca invadiram ninguém, nunca se portaram mal, nunca ao longo da História atacaram quem quer que fosse e, muito importante, nunca, nunca, nunca, nunca, nunca, nunca, cometeriam (ou cometeram) qualquer acto hostil por iniciativa própria e tudo o que fizeram foi sempre em defesa ou porque estavam a ser oprimidos e perseguidos (coitadinhos) por alguém.
Ainda há pouco tempo soube que a invasão da Península Ibérica há uns séculos se ficou a dever à inominável opressão que, na altura, o governo israelita sobre 'eles' exerceu....e foram entrando para norte até serem detidos em Poitiers, claro está, pelos malandros dos americanos que, já em 732, tinham lá uma base militar.
E o que a coligação americano-sionista lhes fez em Lepanto?!!?
Aquilo não se faz, caramba!

Data a evocar: 2 de janeiro de 1492.

ps - desejo, sinceramente, que Oeiras não seja conquistada pelo 'ventre materno'.

F. Santos disse...

O comentário fala por si. Porque é que não se voluntariza para Tsahal?

Ricardo Zenner disse...

O Ab desconhece a História... Lepanto foi uma batalha naval da Santa Aliança travada em 1551 contra o Império Otomano - os turcos, portanto, que só por coincidência eram muçulmanos. Se seguíssemos a mesma linha de ideias, poderíamos então considerar que o ataque alemão aos ingleses em 1940 seria um ataque dos «pérfidos» muçulmanos contra o «mundo livre» (bem, está-me a parecer que a Alemanha de Hitler era mais «livre» que estas «democracias» de agora)?

E há que lembrar que o nosso rei D. Sebastião foi combater os turcos de Selim II em Marrocos, a pedido das Cortes portuguesas e do xerife deposto, o árabe Mulei Muhamed, que combateu com os seus homens (e morreu) ao nosso lado.

Quanto à judiaria, não tinha qualquer importância global na altura, a não ser talvez em Antuérpia (nas Sete Províncias ou Países Baixos), onde controlavam o comércio de diamantes e os corsários que atacavam os nossos navios da rota da Índia. O seu poder a nível global só se estruturou a partir da Conferência Sionista de Baden-Baden, no Sécilo XIX, presidida por Theodor Herzl. Só a partir daí é que lançaram o esquema de domínio mundial. E, é claro, os Estados Unidos, que na altura não passavam de um depositório de emigrantes e de escravos, eram terreno fértil para lançarem o seu império - este, verdadeiramente um império do mal.

Já agora, caro AB, veja a influência criminosa da loja maçónica judaica B'nai B'rith nos acontecimentos do século XX... O que eles estão a fazer actualmente não é nem pior nem melhor do que têm feito até aqui: É sempre a mesma porcaria.

ab disse...

"O Ab desconhece a História..."

Não, não desconheço e sei bem porque falei em Lepanto mas, pelo que vejo, mais adiante no comentário já parece o Ricardo dar mostras de compreender a ironia.



Interrogação:
Será que o FSantos deixou de trabalhar à sexta?
:))

Ricardo Zenner disse...

Caro AB, ironia com ironia se paga... e vão-se dizendo as coisas... :)

Observador disse...

venho convidar os amigos a visitar o meu blog.
é um jornal de notícias.
Vão gostar.
Quanto à politica de Israel não concordo com a politica em Gaza , mas todos têm culpas no cartório nomeadamente o irão e o egipto.

Os palestinos atiram kassams para israel. Este ano foram centenas.
O Irão afirma querer riscar Israel do Mapa.

A Europa critica Israel.
Eles estão encurralados num país bem mais pequeno que portugal.

Encurrados estão também os palestinos.
Mas visitem o meu Blog e vejam as notícias.

Clique aqui e abra noutra janela para visitar o meu jornal