segunda-feira, abril 30, 2007

Há fossas comuns e fossas comuns

«Em Outubro de 2006, a abertura de uma fossa comum em Menden-Barge, no oeste da Alemanha, suscitou a comoção da comunidade internacional pois pensou-se que as crianças cujos cadáveres nela foram descobertos teriam sido vítimas de um programa de eutanásia nacional-socialista executado num centro de morte (Tötungsstation) situada em Wimbern. Após um inquérito minucioso levado a cabo pela polícia judiciária de Düsseldorf ficou-se a saber que o "centro de morte" era um dos hospitais provisórios que, no final da II Guerra, acolhiam sobretudo vítimas dos bombardeamentos aliados. As infelizes crianças não eram, na verdade, "vítimas da barbárie nazi" mas sim "vítimas colaterais" da cruzada democrática.»
(Rivarol de 6 de Abril de 2007, com referência a esta notícia da Focus alemã.)

6 comentários:

António Lugano disse...

Recorda o "crime de guerra em Gernika" e o mural do "kamarada" Picasso.
É a verdade do "politicamente correcto" frente à realidade da História.

alex disse...

As guerras são "sítios" muito "desagradáveis".
A intenção da Guerra é, aliás, exactamente essa.

alex disse...

É claro que não estou com isto a justificar o que quer que seja.
Estou apenas a constatar.

Ricardo Zenner disse...

Assim como muitas das fotos de cadáveres empilhados a serem (mal) queimados sobre toros de madeira, com a menção de que seriam de judeus dos campos de Buchenwald, Mathausen e Auschwitz, eram, na verdade, de vítimas civis alemãs dos bombardeamentos aliados de Dresden, de 13 de Fevereiro de 1945.

Mas era preciso arranjar fotos horríficas de cadáveres para acusar os alemães em Nuremberga, e foi isso que os «democratas» aliados fizeram.

Mais uma infâmia, que agora parece que é «proibido» contestar, à laia de dogma da Inquisição.

al-face disse...

Zenner: tenha juízo.

Ricardo Zenner disse...

Oh Al-Face, realmente quem tem de ter juízo é você! E um pouco de conhecimento histórico VERDADEIRO também não lhe fazia mal. Para si, dizer as verdades é não ter juízo? que eu saiba, dizer mentiras é ser mentiroso, e acreditar nelas... enfim...

Que mania que estes pró-tampinhas têm de tomar a nuvem por Juno...