terça-feira, julho 10, 2007

Despida para matar...

A calmeirona aí à esquerda não é nenhuma candidata a Bond girl. Trata-se na verdade de um soldado de Tsahal, tal como apresentado por uma campanha de sensibilização do povo americano para o alegado facto de os israelitas serem um povo normal e, como se vê, sexy e pr'á frentex.
Se crêem que esta campanha de quase prostituição da mulher israelita é virgem (passe a expressão), desenganem-se: ainda antes da criação do estado sionista se usaram mulheres em tácticas pouco dignas, no sentido de esbulhar proprietários árabes das suas terras. E ainda hoje o Shin Beth tenta chantagear árabes com o mesmo procedimento.
(A ler, aqui.)

9 comentários:

Anónimo disse...

heheheh!
Onde para o Buiça?

Legionário

um, dois, um dois: teste disse...

Ora bem!
Aproveito para saudar este "upgrade" estético levado a cabo pelo FSantos no seu blogue :-)


Como eu compreendo a "vizinhança", amiúde derrotada por um exército largamente composto por.....gajas!

ahahahahahah

Anónimo disse...

Querido amigo:

En Israel hace muchos años que se ataca la moral natural. La resistencia, a veces enconada, de notables sectores del judaísmo ortodoxo no logra frenar la mundanización de Israel. Israel es, en este sentido, otro país europeo más, otra nación "ilustrada". Yo siempre he definido esto como el triunfo del espíritu de Tel-Aviv sobre el espíritu de Jerusalem. La marcha de sodomitas y pervertidos sobre la Ciudad Santa hace no muchos días así lo confirma.
Añade a esto la baja natalidad de las familias judías en Israel en comparación con los musulmanes y tenemos aquí que Israel, antes o después, sufrirá en las carnes judías mucho.
La persecución de los nazis a los judíos será, mucho me temo, un "amateurismo" comparada con la persecución contra los judíos que se avecina.
Los judíos olvidan, a base de tanto Talmud y tanto olvidar el Antiguo Testamento, que siempre que se desvían del Decálogo acaban pagándolo muy caro.
A mí, comprenderás, portadas como las que reproduces en tu bitácora me entristecen muchísimo. La santidad de la mujer, que es Templo del Espíritu Santo, debiera estar por encima de esta condición de hetairas a las que ellas mismas se entregan hoy día con denuedo.
Un abrazo,

Rafael Castela Santos

VG disse...

Bem aparecido, amigo Buíça. Agora é «um dois, um dois: teste»? Já não é «alex»? E porque motivo apagou o Dois (ponto) Zero? Que diabo, terá apanhado algum susto?

אנחנו נראה disse...

פחד! מספר
בעלת דממה.

ד"ש לכל.

VG disse...

O «um dois, um dois: teste» tem este profile: http://www.blogger.com/profile/12714155641765810295

Já o אנחנו נראה
tem este: http://www.blogger.com/profile/12714155641765810295

Ou seja, e para qualquer pessoa com olhos na cara, o Buíça saberá hebraico - língua que deve ter aprendido enquanto andou foragido, decerto com a mesma profundidade com que absorveu o Inglês que o fez dizer «we need someone like she», ou o alemão em que disse «öbermenschen» (já para não falar no «entitulado» e no «aerópago» em Português...) -, mas a tentar aldrabar é um nabo.

O Réprobo disse...

Olha que Te sai furada a propaganda, conheço muito boa gente que vai aderir à causa de Israel ao ver este cartaz...

Flávio Gonçalves disse...

Eu já estou listado em duas páginas israelitas como sendo anti-semita e terrorista e num programa duma cadeira da Universidade de Yeshiva, em Nova Iorque - EUA, chamam-me "inimigo do Estado de Israel".

Ora, quando é que enviam uma (ou mais) destas meninas para me convencer que os israelitas (elas pelo menos) é tudo boa gente?

Anónimo disse...

Bem boa é o que é, mandem-na vir que por mim marcha.

Quero lá saber da táctica israelita...