sábado, setembro 23, 2006

Céline em português













No dia em que o Dragão publica em português a última entrevista concedida pelo genial escritor Louis-Ferdinand Céline, parece-me oportuno divulgar quais as suas obras existentes em português. É um acervo assaz incompleto face à produção de Céline mas para quem não domina o francês é melhor que nada.
Destaco as excelentes traduções de Aníbal Fernandes da "Viagem ao Fim da Noite" e de Luiza Neto Jorge de "Morte a Crédito" (a poetisa faleceu em 1989, três anos após concluir este notável trabalho).

14 comentários:

Nonas disse...

Eis o nosso especialista céliniano FGSantos em acção dinamizadora e cultural.
Céline em português!

dragão disse...

Caro FSantos, uma pergunta:
Tem todos estes livros em português?

Rodrigo Nunes disse...

O FSantos não sei, mas eu tenho, todinhos :)

Miguel Vaz disse...

Onde é que isso se arranja? :X

F. Santos disse...

Caro Dragão, tenho a "Viagem " a "Morte", "De Três em Pipa" e "Vão Navios". A certa altura comecei a ler os originais em francês, tendo todos os romances, os três panfletos, os "Cahiers Céline", os "Cahiers de l'Herne", etc.
Rodrigo: faz muito bem!
João: a "Viagem" tem uma edição recente em português, também com tradução de Aníbal Fernandes; a "Morte" ainda se encontra por aí; a edição de "De Castelo em Castelo" é recente e relativamente fácil de encontrar (até estava em promoção este ano na Feira do Livro).
Ao Nonas, que me enviou as fotos, um abraço de agradecimento.

F. Santos disse...

Sem esquecer a monumental biografia de François Gibault (3 volumes).

Rodrigo Nunes disse...

Todos eles são relativamente fáceis de encontrar, com excepção do «Vão navios», mas o livro do qual é retirado esse texto está disponível na íntegra na internet, em francês, claro, no site da vho.org

Nonas disse...

Aqui vai a informação bibliográfica das edições portuguesas:
«Viagem ao Fim da Noite», Ulisseia Editora, 1983.
«De Três em Pipa»,ed. Assírio&Alvim, 1985.
«Morte a Crédito», ed. Assírio&Alvim, 1986.
«Mea Culpa», Antígona Ed., 1989
«Vão os navios cheios de fantasmas», Hiena Editora, 1986.
«O Cão de Deus», Hiena Editora, 1995.
«De Castelo em Castelo», Pub. Dom Quixote, 1992.
Excelentes compras e fantásticas leituras!
Vão pensando no Natal...

dragão disse...

Eu também os tenho todos. Aliás, foi do "Cão de Deus" que foi retirada a tradução da entrevista.
O "Vão Navios", também da Hiena, é um trecho das "Bagatelles". Infelizmente, a menos interessante para elucidar da polémica subsequente.

Mendo Ramires disse...

Nas feiras do livro que cada vez mais vão existindo de uma ponta a outra do País encontram-se várias destas edições. Só os comunas da Caminho têm sempre três! Adoro abastecer-me nas feiras deles de literatura "fascista" (com aspas e sem aspas!).

MAS disse...

Qual o que é aconselhado para um (a) principiante ne leitura "CÉliniana"?

F. Santos disse...

Sem dúvida a "Viagem ao Fim da Noite".

Rodrigo Nunes disse...

Sim, a «Viagem» será a resposta unânime, creio.No entanto, se se trata de «uma principiante» também digo que tenho a intuição de ser a obra celiniana pouco apelativa para as mulheres.

Nonas disse...

Secundando as oponiões avalizadas do FSantos e do Rodrigo Nunes, a «Viagem ao Fim da Noite» é a leitura "iniciática" à obra celiniana.