quinta-feira, maio 03, 2007

Nacionalistas por Ségolène???

Não deixa de ser caricato assistir-se ao apoio de muitos nacionalistas franceses (e não só) a Ségolène Royal face ao que consideram a ameaça da vitória de Nicolas Sarkozy nas presidenciais francesas. Motivos são vários: Sarkozy, a exemplo de Angela Merkel, seria o homem de confiança de Washington na Europa; Sarkozy, de sangue judeu, será um acérrimo defensor do estado de Israel e do lobby judaico na Europa; e, apesar de ser contra a adesão da Turquia à UE, seria um factor de constrangimento da afirmação desta última entidade na cena mundial.
Tudo isto pode (e tem) um fundo de verdade. Mas é no mínimo grotesco ver-se tanta gente a apoiar a candidata do PS, partido que, desde 1981 com a vitória de Mitterrand nas presidenciais, se notabilizou por:
- promover uma vaga imigratória sem precedentes na história francesa, descaracterizando irremediavelmente o país;
- criar no ordenamento jurídico francês o delito de opinião, amordaçando na prática todos os que se pronunciam contra a descaracterização do país e perda das suas raízes, ou que questionam a versão oficial de certos acontecimentos históricos;
- se ter coligado mais que uma vez com o PC"F", permitindo a este partido influenciar as políticas governamentais;
- contribuir, de resto como o RPR e a UDF, para a dissolução da independência e soberania francesas, defendendo à outrance o federalismo;
- inverter as mais sãs normas de convivência social, defendendo os meliantes, ignorando as vítimas (sobretudo se francesas de souche), promovendo a agenda homossexual e implementando nas escolas alguns dos mais sórdidos "princípios" de Maio de 68;
- ter tornado a corrupção numa forma de vida "normal" (de resto em colusão com os outros partidos com assento parlamentar), multiplicando-se os escândalos financeiros, financiamentos ilícitos, desvio de fundos públicos, etc.
Ségolène pode parecer uma líder "arejada" mas tem por trás a velha máquina radical-socialista que tem contribuído nas últimas décadas para tornar a França numa triste caricatura daquilo que foi no passado. Sarkozy se calhar não será melhor (e de resto até adoptou a retórica da promoção da mestiçagem) mas "esquecer" o cadastro socialista é no mínimo imperdoável.

13 comentários:

Opintas/Bernardo disse...

Yep. Questão pertinente.
Boa noite e um abraço.

Rafael Castela Santos disse...

Excelente recordatorio.

Anónimo disse...

Conclusão - O Jean Marie tem razão!
Abstenção!?

Legionário

alex disse...

"até adoptou a retórica da promoção da mestiçagem"

Outros tempos, talvez.
No debate disse algo do género:

"Existem 450 milhões de africanos com menos de 17 anos. Não podem aspirar a emigrar para a Europa."

As propostas no que diz respeito ao controlo da emigração por parte de Sarkozy são de fazer "inveja" a alguns.
As suas propostas "securitárias" são muito do meu agrado.

Se é tão reiteradamente CONTRA a entrada da Turquia na UE isso faz com que não possa ser o "homem de confiança" de Washington na Europa.

É também de realçar a sua "desconfiança" em relação à Constituição Europeia (pelo menos nos seus moldes actuais) repetindo que o documento foi rejeitado e , por isso, não o submeterá novamente a referendo.

O homem só é vituperado por causa da sua ascendência materna, bien sûr.

;->

PintoRibeiro disse...

Questão complicada. Ao certo eu nunca votaria num judeu próamericano.

al-face disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
al-face disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Courson disse...

"eu nunca votaria num judeu próamericano."

Podemos saber porquê?

Flávio Gonçalves disse...

Fosse francês votava Le Pen ou José Bové na primeira volta, na segunda ficava a beber vinho e a comer caracóis.

pvnam disse...

«...criar no ordenamento jurídico francês o delito de opinião, amordaçando na prática todos os que se pronunciam contra a descaracterização do país e perda das suas raízes, ou que questionam a versão oficial de certos acontecimentos históricos...»


-1-> A Inquisição Mestiça, a cada dia que passa, ganha mais força repressiva sobre os Não-Convertidos.

-2-> Quase toda a gente possui um familiar emigrante a trabalhar noutro país e/ou ou familiar casado(a) com um alienígena (leia-se, não nativo).

------»»» Aonde é que está o maior potencial de crescimento: num discurso anti-imigração e anti-mestiçagem... ou... num discurso separatista reivindicando o legítimo Direito de todos povos nativos possuírem o SEU espaço no planeta????

---» Não sejam OTÁRIOS!
---» Não sejam os coveiros de Identidade Étnica Europeia!
---» Com o 'caixote do lixo' da História à espreita... talvez não fosse má ideia... abrirem os olhos (e depressa): a única maneira de salvar a Identidade Étnica europeia [nota: é também a única forma de criar Condições de Segurança às próximas gerações de nativos europeus Não-Convertidos à mestiçagem]... é (antes que seja tarde demais)... mobilizar a minoria de europeus [quer os de 'Direita'!!!... quer os de 'Esquerda'!!!...] que estão disponíveis para lutar pela SOBREVIVÊNCIA da Identidade Étnica Europeia... no sentido de... reivindicar o legítimo direito ao SEPARATISMO.

Courson disse...

"votava Le Pen ou José Bové"

Está tudo dito.
Esta gente não engana.

Anónimo disse...

È como o algodão!
ahahahahah

Anónimo disse...

Suis pas américain ou juif. Alors, quoi bon voter Sarkozy, un juif polonais ami des américains et de ce cochon Olmert?